sábado, 17 de setembro de 2016

O que poderia ser ....


"Definitivo

Definitivo, como tudo o que é simples. Nossa dor não advém das coisas vividas, mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram. 

Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter tido junto e não tivemos,por todos os shows e livros e silêncios que gostaríamos de ter compartilhado, e não compartilhamos. Por todos os beijos cancelados, pela eternidade. 

Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um amigo, para nadar, para namorar.

Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas angústias se ela estivesse interessada em nos compreender. 

Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada. 

Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam, todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar. 

Por que sofremos tanto por amor? O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez companhia por um tempo razoável,um tempo feliz.

Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um verso: Se iludindo menos e vivendo mais!

A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade. 

A dor é inevitável. O sofrimento é opcional... "

Martha Medeiros



video



E assim querer viver todos os momentos possíveis , e como os possíveis não bastam ... criar sei lá de onde, os momentos que possam acalmar as saudades ... tantas... impossíveis até descobrir você... até perceber você.
E no tempo parar... esperando entender quais as cores que teu sorriso transportam de sua alma ... uma eu tenho certeza ... o azul do infinito... encanta e seduz.
Compreender a embriaguez que teu beijo provoca, já que todo momento some o chão quando tua boca eu beijo... em tua boca me perco.
O universo que se explode em meu ser ao sentir o suor de teu corpo ... em momentos que palavras se transformam em breves sussurros de uma cumplicidade inédita, carinhos multiplicados ... olhos fechados ... prazer inesgotável .
Doce namoro de um menino feliz ... doce ilusão de um homem realizado ... pleno pelo sua chegada , irradiante como as estrelas que hora ou outra vejo semelhantes nesse brilhar de seu olhar, fixando o meu como que querendo dizer segredos ... mais qual maior segredo pode se ter quem ama exceto o de prometer eterno amor? 
Acanhado pelos afagos , me deixo bailar numa dança de rosto colado ... onde se escuta o bater do coração e o suave tremer causado pela emoção juvenil... desajeitado moleque.
Viver a eternidade de um dia , viver a amplidão de seu colo que protege todos nossos sonhos.
Em minhas sinceras tentativas do melhor me perder em excessos ... jamais sobreviveu o amor de ausências ... jamais se sorri pelas indiferenças ... jamais se cala frente a protelações ... se fere muito com preterições ...mais em sendo amor ... idealiza e espera... e na espera a saudade vai percorrendo os tantos caminhos de Minas Gerais...

Paz, saúde e felicidades. 

Nenhum comentário: