sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

O dia de se comemorar...


"Por favor, não me analise
Não fique procurando
cada ponto fraco meu
Se ninguém resiste a uma análise
profunda, quanto mais eu!
Ciumenta, exigente, insegura, carente
toda cheia de marcas que a vida deixou:
Veja em cada exigência
um grito de carência,
um pedido de amor!

Amor, amor é síntese,
uma integração de dados:
não há que tirar nem pôr.
Não me corte em fatias,
(ninguém abraça um pedaço),
me envolva todo em seus braços
E eu serei perfeita, amor!"

Do livro Bom dia amor!, 1990
Mirthes Mathias 

video

Um dia descobrimos que em uma só pessoa pode existir todas as razões para amar alguém... e nenhuma que justifique não amar, não ajudar, não ser solidário...
Descobrimos que as nossas ausências passam a ter sabor de culpa pelo sofrimento causado, mesmo que involuntário.
Aprendemos que negar uma palavra, um sorriso, um gesto de boa vontade é uma perda incorrigível e que nada em tempo futuro substituirá essa involução, exceto as tentativas dignas e sinceras de escrever um novo futuro que compense o que de errado ficou... e creia sempre algo de errado fica, sendo essa tratativa humana é passível de erros até por sermos seres humanos.
Entenderemos que somos parte de um todo e que negar algo dessa parte é sim negar o todo também, se não posso oferecer um palavra amiga , que amizade devo esperar?
Sendo o universo atento a tudo , sendo Deus que comanda , por que se negar a conhecer a face do desespero de quem um dia nós fez sorrir, ou fechar os olhos para a lágrima que brota da mágoa de pessoas que ajudaram a secar nossa próprias e tantas lágrimas, se tratamos como covardes a quem deveríamos no mínimo usar do respeito de um único momento feliz... passamos pela flor que oferece alento ao nossa alma, e em frente andamos, partindo indiferentes a poder ver, ao que sentimentos por conta de termos num segundo visto e sentido algo que alegrou  nossas almas?
Desculpas nem sempre são fáceis de pedir, mas necessárias para que se possa virar a página ... ou teremos na vida um número incontável de livros que nunca acabaremos de ler.
O que poderia ser e não foi, pode se traduzir como promessa de mais um amigo, até mesmo que distante e módico, importante na contagem final nessa breve vida... e por fim lembrar da Oração que podemos rezar (orar) toda noite...
"Perdoai as minhas ofensas assim como (na mesma medida) eu perdôo a quem me tem ofendido..."

Paz , saúde e mil felicidades.

Nenhum comentário: