sexta-feira, 1 de agosto de 2008


A Cúmplice
Composição: Juca Chaves

"Eu quero uma mulher ,que seja diferente
de todas que eu já tive,de todas tão iguais
que seja minha amiga,amante, confidente
a cúmplice de tudo que eu fizer a mais.

No corpo tenha o Sol ,no coração a Lua
a pele cor de sonho ,as formas de maçãs
a fina transparência ,uma elegância nua
o mágico fascínio ,o cheiro das manhãs.

Eu quero uma mulher de coloridos modos
que morda os lábios sempre que for me abraçar no seu falar provoque o silenciar de todos ,
e seu silêncio obrigue a me fazer sonhar .

Que saiba receber,que saiba ser bem-vinda ,
que possa dar jeitinho a tudo que fizer ,
que ao sorrir provoque uma covinha linda ,

de dia, uma menina e a noite, uma mulher."

Pois é menina , não sei ao certo se já tive , ou se ela já passou por mim desapercebida , creio que não ...porém a vida tem seus mistérios ... as vezes o que aparenta ser não é... e vice versa . Mas após tanta espera estou com meus sentidos mais aguçados , mais atento as ilusões , dimensionando bem o que pode ser do que de fato é ... as vezes(muitas) erro , como todos nós , mas meus erros são mais frutos de atos isolados , e muitas vezes não são premeditados ... "errar na boa fé" e querer acertar .

Mas o pior de tudo ainda é a carência , essa prima-irmã da premeditação , muito se erra em nome dela , mesmo que aprendamos com esses erros , o custo é por vezes quase insuportável... ele custa algumas rugas e suspiros de "quase" além do gosto amargo de mais uma desilusão ... e , mesmo , assim vamos caminhando buscando o que nós falta , tão preocupados que esquecemos de olhar em volta...quem sabe você não está de meu lado ...quem sabe não estarei do teu... quem sabe se agora juntos a história será diferente? Será que estamos tão perto que quase nós tocamos , será que nossas almas já não se encontram entrelaçadas além desse espaço virtual ou geográfico de poucas horas . Esses suspiros , arrepios , sensações de sentir a presença , de pela voz se emocionar como menina e mulher , de não acreditar no que se vê e se sente , no que pode ser , tem de se  duvidar , ou questionar , ou até mesmo censurar o que não pode mais calar no peito ... um novo amor ! Talvez o trem chamado felicidade acabe partindo e você perdendo mais uma vez ele , pois perdeu tempo em respostas que só o tempo te dará , não existem garantias reais , exceto para a morte carnal  ou sentimental ... o que deveria ser proibido é mais uma vez perder a chance de ser feliz , elas são raras e com o passar do tempo mais raras se tornam... vê ...olha ...o trem está partindo rumo a felicidade ...pare de  se questionar... corre que ainda dá tempo! ...corre!

3 comentários:

Rose disse...

Hum!! que sentimento maravilhoso vc faz surgir dentro do peito, quando nossos olhos passam por essa palavras, que sem dúvida nenhuma brotaram de algo maior bem maior do que o simples ter...mas o ser em tdo...bjkkas

maria disse...

Atrás de fios sibernéticos, um sentimento floresceu.Me trouxe carinho e carência, clamor e clemência. A ocupação de um vazio. Que o destino nos colocou unidos e tão longe... não sei se agradeço o destino... por ter me enviado tamanha graciosidade colocado tão distante do meu lado... o grande carinho de suas palavras degusto incansavelmente e procuro seu abraço desesperadamente estimado em minha mente. Sinto-me sintonizada a sua alma conectada ao meu peito. Distante mas tão presente em meu olhar e tão vivo no meu sentir. Ausente na minha visão e tão presente em meu coração.Me pergunto e não obtenho resposta.

marcia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.