sábado, 8 de março de 2014

No dia internacional da Mulher...


Crônica do Amor
Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta.

O amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão. O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar.

Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referenciais.

Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca.

Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera.

Você ama aquela petulante. Você escreveu dúzias de cartas que ela não respondeu, você deu flores que ela deixou a seco.

Você gosta de rock e ela de chorinho, você gosta de praia e ela tem alergia a sol, você abomina Natal e ela detesta o Ano Novo, nem no
ódio vocês combinam. Então?

Então, que ela tem um jeito de sorrir que o deixa imobilizado, o beijo dela é mais viciante do que LSD, você adora brigar com ela e ela adora implicar com você. Isso tem nome.

Você ama aquele cafajeste. Ele diz que vai e não liga, ele veste o primeiro trapo que encontra no armário. Ele não emplaca uma semana nos empregos, está sempre duro, e é meio galinha. Ele não tem a
menor vocação para príncipe encantado e ainda assim você não consegue despachá-lo.

Quando a mão dele toca na sua nuca, você derrete feito manteiga. Ele toca gaita na boca, adora animais e escreve poemas. Por que você ama
este cara?

Não pergunte pra mim; você é inteligente. Lê livros, revistas, jornais. Gosta dos filmes dos irmãos Coen e do Robert Altman, mas sabe que uma boa comédia romântica também tem seu valor.

É bonita. Seu cabelo nasceu para ser sacudido num comercial de xampu e seu corpo tem todas as curvas no lugar. Independente, emprego fixo, bom saldo no banco. Gosta de viajar, de música, tem loucura
por computador e seu fettucine ao pesto é imbatível.

Você tem bom humor, não pega no pé de ninguém e adora sexo. Com um currículo desse, criatura, por que está sem um amor?

Ah, o amor, essa raposa. Quem dera o amor não fosse um sentimento, mas uma equação matemática: eu linda + você inteligente = dois apaixonados.

Não funciona assim.

Amar não requer conhecimento prévio nem consulta ao SPC. Ama-se justamente pelo que o Amor tem de indefinível.

Honestos existem aos milhares, generosos têm às pencas, bons motoristas e bons pais de família, tá assim, ó!

Mas ninguém consegue ser do jeito que o amor da sua vida é! Pense nisso. Pedir é a maneira mais eficaz de merecer. É a contingência maior de quem precisa

Martha Medeiros

video





Então permaneço estático ... controlando emoções e impulsos... impossibilidade de momentos repetidos exaustivamente.
Vou em busca de distrair a mente e quem sabe o coração , pego um livro para ler, nem preciso ver a capa ... todos tem uma história que me reporta a você...a nós .
Vou ouvir uma música qualquer e nesses quaisquer  sempre seu discreto riso vem me lembrar que até somos felizes.
Que pode um coração congelado pelas razões práticas do dia a dia ... o que pode uma alma frente a distância e a ausência... a guardar em relicários, verdadeiras caixas de pandora que acabam empoeiradas pelo tempo, tempo esse que assiste a normalidade sufocar anseios e desejos, a acinzentar sonhos outrora coloridos por tons de esperança.
Percorro caminhos solitários... vez ou outra a avisto ... vez ou outra te aceno, vez ou outra tua rara presença realimenta o que estava, apesar de persistente, definhando. E assim aquece um pouco esse frio que essa tua existencial e pratica  normalidade causa. E ainda esse seu sorriso que rasga meu ser e reaparece meu êxtase frente a tua beleza e seu olhar ilumina com as luzes da ternura e carinho as manchas escuras da plena carência afetiva.
Trocando dias por raros minutos sigo numa ilusão de avistar um futuro melhor, sigo acreditando com toda minha fé que a tristeza não mata... só deixa a boca amarga, os olhos turvos das represadas lágrimas e o sorriso amarelo numa complacência de uma opressora compreensão, tentando me alimentar das migalhas que por momentos sacia essa fome existencial que você se tornou para mim.
A obrigação de destinar meu melhor, de buscar a superação como ato digno de boa fé e palavra empenhada , ser melhor do que fui, nunca um erro pode anular outro erro, então tinha e tem de ser absoluta a promessa e seguida de diários atos ... verbo em ação ... permitindo a respiração de novos e tranqüilos ares , sem sobressaltos , sem fantasmas passados ... olhando o presente e vivendo o futuro da melhor maneira possível.
Garantias ...quais? Exceto a que o espírito carrega, fonte primária da paixão, sendo o amor quem conduz podemos e devemos esperar superações possíveis, mais jamais ser as possíveis imparciais, descomprometidas e normais num ambiente de angústia pelas mordaças de falar... gritar o que fere feito espinho, incômodo constante do desconforto que o descuido causa.
Impossíveis... ou simplesmente apaixonadas são as que verdadeiramente causam efeitos infinitos, até por que a linha que divide o possível do impossível é muitas vezes tênue demais e muitas vezes ela leva o nome de ... boa vontade, concernente com o simples assim :  -Quem quer faz... quem não quer acolhe qualquer desculpa.

Paz, saúde e comemorações.

"A confiança pode exaurir-se caso seja muito exigida."
Bertolt Brecht
 

Nenhum comentário: